Wednesday, March 21, 2007

Aiaiaiaiai, nada pra pensar...
Não me cobre horários
Não me dê compromissos
Que hoje eu não quero saber de nada
Não me venha com história de regime
Nem me diga o que é certo e o que é errado
Não me controle
Deixe-me uma vez que seja seguir os meus impulsos
E eu não quero ser incomodada
Não me peça ordem
Não exija rima
Dê-me o prazer de ser desordenada
Deixar sair
Sem critério nem organização
Permita-me essa sensação
de experimentar...
Rararara
Não me venha com tortura nem repressão
Cansei de ser prisioneira
Deixe eu fazer algo inustado
Deixe eu fugir dos planos...
Que eu tô de Férias!!!


*Sabe akele dia que dá vontade de jogar tudo pro alto? uuu
O poema desse gênio ai cabe aqui!


" LIBERDADE
Ai que prazer de não cumprir um dever.

Ter um livro para ler e não o fazer!
Ler é maçada, estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca..."

Fernando Pessoa

1 comment:

Alessandro said...

As vezes me pego cheio dessas vontades tb! Penso que isso seja absolutamente normal à pessoas que têm a arte como expressão do profundo. Acostume-se com isso! Bjos Mel